terça-feira, 22 de agosto de 2017

Do Futebol



Finalmente o Vasco consegue que o Globo lhe dedique duas páginas e mostre seu escudo, coisa só permitida regularmente ao Flamengo. Mas condenar o estádio é jogar a criança fora com a bacia. Barbárie pode acontecer em qualquer estádio. Justamente a boa estrutura de São Januário evitou uma invasão do gramado com piores consequências. Mesmo no Maracanã e no Nilton Santos se mata do lado de fora. O Rio de Janeiro, infelizmente, por culpa de seus administradores e políticos, é um açougue humano. O que tem de ser atacado e punido, são as torcidas organizadas que pela sua forma de atuar atraem pessoas dispostas à violência e à agressão. Elas são uma praga do futebol. Mas pelos arquivos desse jornal só a torcida organizada do Vasco se constitui de vândalos. Melhor seria aproveitar o momento para condenar todas as organizadas. Os clubes precisam promover associados e não “organizados”. 10  07  17

Nada justifica a violência, todo mundo sabe disso. Mas um conjunto de fatores pode ajudar a explicar os acontecimentos em São Januário: torcidas patrocinadas no futebol, por sua natureza mesma, são coletivos apropriados para pessoas mal formadas e oportunistas exercitar seus instintos mais selvagens; dirigentes mal sucedidos insistem em permanecer em seus postos numa atitude patrimonialista que se repete nos clubes e na política brasileira, gerando mal estar e revolta na população e nas torcidas reais; o clima de violência generalizada da cidade contribui para o estresse emocional de todo mundo; juízes despreparados ou autossuficientes multiplicam pequenas faltas e marcam um dos times distribuindo cartões amarelos para mostrar seu poder, mas o que mostram é arrogância e o que provocam é a irritação do time e de todos.
No caso específico, o time do Vasco, que teoricamente seria o alvo da insatisfação da sua torcida, o time pôde sair de campo com tranquilidade. O que explica que o time do Flamengo tenha permanecido no gramado, esquecido da rivalidade visceral dos dois lados? Isso pode ter sido entendido como provocação? Foi provocação ou ingenuidade? O estádio é bonito e seguro, talvez a única coisa boa que a tal administração terá feito. Ele não tem nada a ver com o acontecido, poderia ser em qualquer estádio. Por que não processam e interditam o Eurico, por ilação?
O estádio em si mesmo é neutro, depende das medidas práticas de segurança, como qualquer lugar na cidade. Se a violência justifica interditar o estádio vamos ter de interditar o próprio Rio de Janeiro!!! Repito que não estou justificando nada, tem mais é que acabar com torcidas patrocinada
11  07   17
E agora, José? Violência em São Januário foi uma resposta às ameaças da organizada do Flamengo. Desde jogos anteriores a torcida do rival tem tentado inviabilizar o estádio do Vasco. Da outra vez quebraram tudo no estádio. Graças justamente à segurança não houve um confronto, mas a organizada vascaína estava preparada com paus e ferro e acabou brigando entre si. Continuo achando que as organizadas perderam o rumo e a justificativa. Foram criadas para acompanhar o time onde se apresentasse, para manter presença em situações adversas e estimular o time em campo. Perderam o sentido por contaminação da violência endêmica do país. Ficamos assim: organizadas, nem cá nem lá. Pena que a mídia carioca é deformada pelas regras de consumo do marketing publicitário e a justiça desportiva é sectária.


A torcida marca cada lance e obviamente constrange o juiz. O jogador cai por qualquer toque e o juiz marca. Pelo menos umas vinte faltinhas em torno da área do Grêmio, que teve muita sorte além da competência. E o Flamengo deu azar, só isso, porque não pode se queixar do juiz.
Agora no Globo Esporte, gastaram uma matéria enorme sobre o jogo Grêmio e Flamengo. Na notícia, o Grêmio não existe, pois foi ultra relevado o espírito de luta dos jogadores do Fla.

Ganhar do Flamengo na Ilha\ninho do urubu é uma façanha inenarrável. Então aquele estádio é mais seguro que São Januário? Só se contam que o juiz não ouse marcar nada contra o time da casa! Aliás ele não marca mesmo, só se for uma falta escancarada. Foi isso que eu vi esta noite.
Em vez de prender dirigentes do estado, deviam obrigá-los a circular diariamente pelo Rio de Janeiro, cruzando da Zona Sul até Pavuna, para eles verem o que nos deixaram de herança.

Covardia com o Vasco, o único clube do Rio que tem um estádio próprio. Uma pena não pode asfixiar e inviabilizar o punido. Se fosse aplicar o equivalente na política fechava o Congresso (para o bem ou para o mal). Ora, o estádio em si é muito seguro, deviam buscar outro tipo de punição. Então parece que é melhor não ter estádio, para não correr desses riscos próprios do Rio de hoje onde a violência explode em cada momento e cada canto. Queria ver fazer isso com o Flamengo! Não duvido que tenha inveja de torcedor no Tribunal. Um absurdo, seria bom examinar para quem torce cada conselheiro, urgente.


Os problemas sucessivos que só atingem o Vasco parecem preconceito desportivo-racial. Interditar o estádio de São Januário é um acinte à inteligência, nenhum estádio do Brasil tem um plano de segurança apresentado 30 dias antes do campeonato, não estaríamos falando de Brasil, mas talvez da Suíça. O Vasco é punido por ter estádio, deve ser isso. O Rio de Janeiro não oferece segurança para os moradores, deviam fechar o Rio de Janeiro.
Certamente, deve haver no Ministério Público e na Justiça Desportiva torcedores fanáticos de outros clubes, porque infelizmente a paixão daninha, não a amorosa, grassa num país dividido na política e na civilidade. Em vez de interditar deviam estabelecer as condições para funcionar, e estender isso a todos os estádios do país, com transparência. Como a Grande Rede criou 60% de torcedores do mesmo clube, a possibilidade de ter rubro-negros em órgãos decisivos da cidade é muito grande. E foi um rubro-negro, de dentro de uma prisão, que proclamou a guerra entre as organizadas para o estádio e o jogo. A guerra não aconteceu justamente porque a segurança não permitiu. Foi a organizada do Flamengo que, no jogo passado entre os dois clubes, quebrou toda a parte do estádio que lhe fora destinada.
Vamos parar com o fanatismo e criar um pouco de solidariedade desportiva, os outros clubes do Rio deviam se solidarizar com o Vasco em vez de apoiar a perseguição. Se o problema é Eurico, por que não ajudam o Vasco pedindo a interdição dele?
Lembro que até hoje a famosa mídia exibe o incidente do jogo do Vasco em Santa Catarina, que foi mais grave que o atual, onde a torcida visitante, do Vasco, foi encurralada e teve de se defender. Mas não interditaram o estádio! E ainda puniram as vítimas, a torcida local do Vasco, onde havia até famílias. Se isso não é discriminação...

No futebol, juiz não pode errar contra o Flamengo! Mais uma vez os jogadores cercam para dar tempo do bandeirinha ser avisado, e o juiz volta atrás. Mas isso só acontece a favor do Flamengo!!! Estranho esse esquema, mas só o Flamengo pode?  27  07  17

Pois é, finalmente um clube que não é do Rio e portanto não tem compromisso com o conformismo dos clubes cariocas Botafogo, Fluminense e Vasco, se revolta contra a óbvia parceria do Flamengo com a Rede Globo. Mais uma vez, principalmente em pênaltis e impedimentos, os jogadores do Flamengo cercam o juiz e dão tempo para uma eventual consulta externa. Em sã consciência, é impossível à vista humana enxergar se o pé do zagueiro tocou na bola antes de tocar no atacante. Nesses casos só o acaso da marcação do juiz. E é aí que entra o esquema rubro-negro que pelo menos assegura que não vai haver erro contra o clube. É o Santos quem afirma que um repórter da Rede soprou para o quarto árbitro. E soprou errado, pois para mim houve pênalti, tecnicamente, não nas recentes interpretações do juizado brasileiro. O beque chegou com tudo e apenas por milímetro tocou primeiro na bola, mas levou junto as pernas do atacante impedindo-o de seguir a jogada: é pênalti. Mas isso não importa, o que vale é o esquema aparente montado porque não é a primeira nem a segunda vez. O cerco ao juiz retarda a decisão para que a consulta ocorra. Não adiantam as próprias negativas da empresa envolvida no caso porque está comprometida pela notória parceria comercial que favorece brutalmente o já forte clube carioca. E afinal, cercar o juiz pode?


Ainda assim não se justifica que as raras transmissões da Rede Globo/Esporte, como neste domingo, deixem de mostrar uma tomada sequer da torcida vascaína. A marca do Vasco parece uma maldição para a emissora. E sem falar que essas transmissões nunca são em rede nacional, ao contrário das que dedica ao seu clube parceiro.  20   08  17

Qual o jogo você acha que a TV devia transmitir? O jogo-treino do Flamengo pelo torneio sul-americano com um time reserva do Chile, já derrotado em casa por 5 x 2 ou o jogo do Botafogo, marcado para hoje com o Nacional, o tradicional time uruguaio pela Libertadores?

Olha só por que o Flamengo tem muito mais torcedores e facilidades financeiras para contratar: o Jaime teve dois dias de treinador e já saiu em manchete do Globo, o próximo treinador nem teve ainda um acerto e já sai hoje em manchete. Fica fácil com parceria tão poderosa. Até o Bonsucesso viraria clube das multidões. Como Tarcísio Meira e Faustão. Flamenguista não enxerga porque não quer..

João, ele era meu vizinho no Novo Leblon, e, desde dos anos 90 ele já era funcionario do Flamengo. Há muitos anos que ele é o "tapa-buraco" do Flamengo. E, como todos flamenguistas tem o carinho de TODA IMPRENSA

Eugenio Fernandes É o carinho pelo velho atleta que continua a dar seu tempo para o clube MAIS QUERIDO DO BRASIL- (barra até o Corintians que só é grande em São O Jaime esta para o Flamengo como o Eurico esta para o Vasco

O Vasco vive uma fase desastrada, sem perspectiva. Está ainda em boa posição no campeonato porque acumulou gordura enquanto os demais clubes estavam esquentando os motores. Estes cresceram enquanto o Vasco estancou. Os jogadores não são muito ruins, mas a defesa, por exemplo, é idosa para os padrões do futebol moderno, não acompanha o ritmo dos jogos. No ataque a garotada é talentosa, mas sem experiência para se adequar à variedade de situações dos jogos. Por exemplo, todos times entram retrancados contra o Vasco porque sabem que o ataque deste time não é eficiente e não volta depois de perder a bola, a defesa fica descoberta. E quando fazem um gol o jogo está decidido porque o Vasco não tem poder de reação. E para fechar a explicação, o técnico é um teórico inexperiente que ainda não impôs um padrão de jogo e a administração com Eurico é incompetente. Com tudo isso ainda tem a má vontade dos árbitros que prejudicam o Vasco ostensivamente, porque sabem que a diretoria é omissa e por conta do fenômeno da Geni: todos acham que podem jogar pedra porque ninguém vai mesmo achar estranho. No jogo passado, por exemplo, o Sassá do Cruzeiro entrou solando no lance mas o juiz marcou uma falta do defensor do Vasco que apenas entrou atabalhoado. Teria de prevalecer a entrada solada do atacante, mas foi o Vasco que levou a pedrada.   05   08   17

Concorrência desleal no futebol    31   07    17
Vivemos no mundo ocidental onde o sistema capitalista é triunfante e soberbo. Sabemos que ele é altamente eficiente na produção de riqueza, mas também na concentração de renda e na geração de consequências indesejáveis para a sociedade e para o próprio modelo de negócios. Foi então necessário estabelecer mecanismos de correção, não apenas para evitar a destruição da sua galinha de ovos de ouro, a população, mas também a guerra de extermínio entre os próprios capitalistas, para que os lobos não se devorem entre si e para que não eliminem os cordeiros, que somos nós. Organismos internacionais foram criados, como a OIT e a OMC, para controlar o meio de campo e evitar que os lobos tirem proveito da força e para eliminar a concorrência desleal no mundo dos negócios. 
Ainda assim vemos que governos inventam jogadas desleais com propósitos equivocados, como a concentração dos subsídios nas grandes empresas selecionadas pelo BNDES, e no caso do futebol a escolha do Flamengo para os investimentos da Rede Globo. Se os amiguinhos não querem enxergar isso, paciência. Se os dirigentes dos demais clubes não podem enxergar isso, que pena e que merda.

A marcação de impedimento no primeiro gol do Jo ontem foi escandalosa, roubo descarado. Parece que darão muitos jeitos para que o Flamengo seja campeão. Ando pensando em acompanhar apenas campeonatos de peteca...

Flamengo jogou melhor que o Corinthians, afinal o empate foi justo porque mais uma vez o juiz anulou equivocadamente um gol contra o Flamengo. Não houve impedimento, mas o que mais nos garante isso é que a Globo não mostrou com detalhes a jogada no intervalo, escondeu o favorecimento ao Flamengo. Imagina se fosse o contrário, íamos ter um show de tecnologia.


Amigos flamenguistas a quem respeito, admiro e amo não conseguem enxergar a injustiça da parceria que diariamente sacrifica os demais clubes do Rio transformando os campeonatos numa competição viciosa. Lamento.

Nenhum comentário:

Greve de Trabalhadores Há uma diferença entre dizer que a greve é justa (e não estou dizendo nada) e a forma de realizá-la. Parece qu...